Você sabe a diferença entre corrosão, oxidação e ferrugem?

Sim, existe grande diferença entre todos esses processos de degradação do metal. A corrosão, oxidação e a ferrugem são compostos químicos que se desenvolvem sobre materiais ferrosos sempre que expostos a determinados tipos de situação. 

Aprenda como identificar se o material ainda pode ser restaurado, em qual processo de desgaste ele se encontra e como protegê-lo para que dure bastante, preservando o seu investimento. Leia!

Oxidação

O início de todo o processo de degradação do metal acontece pela oxidação. Entre os três, esse é o mais fácil de ser removido, devendo ser feito exatamente após descoberto. Quando o metal fica desprotegido, sem pintura ou riscado, entra em contato diretamente com o ar ou água, provocando uma reação química de perda de elétrons.

Muitos produtos químicos estão disponíveis no mercado para remover a oxidação dos metais. Contudo, o problema pode retornar caso o material continue desprotegido por uma camada de tinta, por exemplo, expondo novamente o material ao contato direto com umidade e oxigênio.

Corrosão

Logo após a oxidação, o metal, caso continue exposto às condições climáticas, começa a mudar de cor e revela trincas que, se não solucionadas naquele momento podem comprometer a qualidade de todo o material.

O mais importante no momento em que a corrosão for identificada, é remover a parte danificada da peça de ferro, aço ou alumínio, seja por jateamento, lixamento ou com o auxílio de alguns produtos químicos. 

Lembre-se de que, no caso da corrosão ter atingido alguma parte da pintura ou revestimento do material ferroso, toda a cobertura deverá ser retirada e refeita, só assim evitaremos o reaparecimento do problema.

Ferrugem

Sem dúvida, esta é a etapa de maior criticidade entre os três processos de danificação do metal, mas assim como os outros, ainda pode ser revertido. O ferrugem nada mais é que um composto químico, de cor avermelhada, que compromete a qualidade e a resistência do material ferroso.

Caso você perceba que a peça foi tomada pelo ferrugem, a dica é descartar de maneira segura, todo o material, pois será impossível restaurá-lo, podendo causar danos à saúde, como o tétano.

Entretanto, nos casos em que o ferrugem esteja localizado em um único lugar e de maneira que o material ferroso ainda não tenha se tornado quebradiço, o lixamento, jateamento ou a ajuda de produtos químicos podem ser o suficiente para remover o dano. 

Como proteger melhor os metais

É importante ficar alerta e usar o bom senso ao perceber que a sua peça ferrosa está sofrendo um processo corrosivo. Caso o material esteja mais fraco, quebradiço ou de aparência frágil de alguma maneira, descarte-o. Por muitas vezes, restaurar superficialmente a peça não será o suficiente para impedir acidentes. Fique atento!

Contudo, prevenir continua sendo a melhor saída para manter a qualidade do seu material por mais tempo. Temos algumas dicas para isso:

  • Não use água para limpar um material ferroso
  • Evite a exposição à umidade e ao ar 
  • Cubra o material com óleo ou outros líquidos lubrificantes
  • Antes de pintar as peças, remova toda a sujeira ou gordura que estiver sobre ela. Você pode usar álcool para isso.
  • Pinte o material com um tinta de esmalte
  • Galvanize os objetos

Outro meio para garantir a durabilidade extendida das suas peças de aço é investir na compra de materiais que já vem galvanizados de fábrica, como o aço galvanizado a frio, que garante proteção contra oxidação, corrosão e ferrugem. Conheça mais sobre esse material clicando aqui!

Susi
Susi

Olá, eu sou a Susi, atendente virtual da plataforma de vendas da Soluções Usiminas. Sou expert em aço e vou ensinar tudo o que aprendi pra vocês.

Compartilhe nas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email