Qual é a melhor forma de dar acabamento às soldas?

Qual é a melhor forma de dar acabamento às soldas?

Existem diversos tipos de soldagens e eles podem servir para diferentes objetivos. Mas você sabe dar acabamento às soldas?

Pensando nisso, criamos este post, onde reunimos os tipos de solda, bem como as suas características. Assim, você descobrirá qual é a melhor forma de dar acabamento às soldas. A seguir, confira cada um!

Eletrodo Revestido (MMA/SMAW)

A solda com eletrodo revestido é uma técnica muito conhecida em todo o mundo. Isso porque, trata-se de uma solda acessível e amplamente comercializada.

Dica: as soldas são indicadas para aço sem revestimento, pois o ideal é que se faça o revestimento posterior ao processo de soldagem. Já para aços galvanizados, o usual é utilizar o processo de rosqueamento para uni-los.

Os aparelhos de soldagem com esse processo variam desde transformadores até inversoras de solda. O que, por sua vez, permite soldas em ferro e em diferentes tipos de aço.

Nesse processo, o soldador realiza o cordão de solda manualmente, utilizando-se do porta eletrodo para fixação do eletrodo em si. Logo, com a garra negativa e intermediados pela fonte de soldagem, os eletrodos formam o arco elétrico ao encostarem em metais aos quais serão unidos.

A soldagem Eletrodo Revestido é comum em: 

  • construções;
  • tubulações;
  • estruturas de aço carbono; 
  • fabricação industrial para soldar ferro e aço em geral.

MIG/MAG (GMAW)

Esse tipo de solda é frequente na indústria em geral, devido a sua alta taxa de produtividade e qualidade. Além disso, como dispensa um controle manual da alimentação do metal de fusão, a solda é rápida e pontual.

Os aparelhos para essa soldagem exigem fonte de energia, alimentador de arame, cilindro com mistura de gás, tocha e acessórios. Já o modo de transferência do metal arame pode ser: globular, curto-circuito, spray e spray pulsado.

TIG

A soldagem TIG é um tipo de soldagem elétrica e, geralmente, é muito utilizada em inox ou metais não ferrosos. Basicamente, funciona com curto-circuitos controlados. Nesse processo, o arco elétrico se encontra entre um eletrodo de tungstênio inserido na tocha e a peça de trabalho.

Para tanto, essa soldagem exige: 

  • fonte inversora ou tiristorizada;
  • mistura gasosa;
  • tocha para soldagem TIG;
  • gatilho ou rosca;
  • eletrodo de tungstênio; 
  • vareta com o material a ser soldado.

Soldagem com arame tubular

Semelhante ao processo MIG/MAG, a soldagem com esse arame especial permite que não se utilize gás para a solda. Afinal, o arame é autoprotegido, ou seja, ele proporciona a própria atmosfera que protegerá a solda.

Ainda, é possível usar o mesmo equipamento do MIG/MAG. Outra vantagem é a viabilidade de semi-automatização, automatização e robotização.

Arco Plasma (PAW)

Essa soldagem tem arco muito parecido com o processo TIG, já que é um arco elétrico, formado entre a ponta de um eletrodo de tungstênio e a peça de trabalho a ser soldada.

A distinção entre eles é que, com o arco plasma, o eletrodo fica internamente na tocha, limitado por um bocal. Assim, o arco plasma pode ser separado do gás de proteção ao redor do ponto de soldagem. O que também garante bastante precisão em soldas de pequenas áreas.

Solda por feixe de elétrons

Nesse processo de solda, é lançado um feixe de elétrons para aquecer o ponto onde ocorrerá a solda. Todavia, para essa soldagem, é preciso de um ambiente a vácuo. Por conta disso, é necessário trabalhar com altas voltagens, sendo automatizado e controlado por computadores.

Hidrogênio Atômico (AWH)

Esse tipo de soldagem foi amplamente substituído pelos outros métodos aqui citados. No entanto, ainda é eficaz para fins específicos, como a soldagem de tungstênio. Nesse caso, o arco elétrico produzido nessa soldagem consegue partir as moléculas de hidrogênio, que posteriormente se recombinam.

Oxigás (OFW)

Essa soldagem inclui qualquer operação com combustão de um gás combustível com oxigênio como meio de calor. Inclusive, pode ser feito com ou sem a adição de um metal de preenchimento. Desse modo, com a adição, muitas vezes, utiliza-se o mesmo metal base.

Nesse caso, seu uso é interessante para a manutenção e conserto de peças de pequeno diâmetro.

📖 Conheça, ainda: os principais tipos de aço e suas aplicações.

A melhor forma de dar acabamento às soldas é aquela que mais funciona à sua necessidade. Por isso, considerando cada um dos principais tipos de soldagens, verifique qual se adéqua melhor ao seu objetivo e equipamento. Até porque, como vimos, algumas soldagens compartilham os mesmos aparelhos.

Susi
Susi

Olá, eu sou a Susi, atendente virtual da plataforma de vendas da Soluções Usiminas. Sou expert em aço e vou ensinar tudo o que aprendi pra vocês.

Compartilhe nas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email