Como fazer a gestão de custos da sua obra?

Garantir que os custos se mantenham dentro do que o financiador está disposto a desembolsar é fundamental. Uma vez que, ninguém gosta de ter que pagar a mais por conta de um imprevisto e erro de cálculo. Por esse motivo, é fundamental saber como fazer a gestão de custos da sua obra.

Pois, além de você garantir uma média de gastos mais assertiva, terá em mãos uma análise mais precisa das atividades realizadas. Assim, se torna possível até a comprovação e justificativa dos gastos em cada recurso.

Tendo esses benefícios em mente, selecionamos para você alguns passos de como fazer a gestão de custos da sua obra. Conheça-os a seguir e aprenda a fazer uma estimativa realista e eficiente.

Como fazer a gestão de custos da sua obra?

1. Faça o seu planejamento com base em um cronograma

Toda obra depende dos processos internos, duração e porte de projetos, número de colaboradores e relacionamento com fornecedores. Pois, somente após avaliar os recursos disponíveis e as possibilidades dentro das suas necessidades, é possível ter confiança nos prazos e valores. Até porque, sem esses dados em mãos, você não conseguirá avaliar os gastos com imprevistos e adaptações.

Considere esses fatores no seu planejamento e crie um cronograma. Essa ação aumenta as suas chances de fazer uma boa gestão e a ter assertividade nas suas tomadas de decisão.

Mantenha o cronograma atualizado e determine processos intuitivos que assegurem a orientação da equipe aos padrões preestabelecidos. Entre esses processos, vale a pena definir um:

  • padrão mínimo de qualidade; e
  • teto de gastos para cada equipe.

2. Evite desperdícios

O controle de custos depende da redução de desperdícios, porque o desperdício é responsável pelo aumento dos gastos. Sabendo disso, vale a pena negociar com fornecedores, além de optar por produtos e ações mais sustentáveis.

  • Um exemplo de ação que vem sendo discutida e adotada é o reaproveitamento do entulho. Para se ter uma ideia, segundo este artigo, se triturado (com um moinho que pode ser alugado), o material também entra na composição da argamassa. Assim, reduz-se o consumo de cimento, cal e areia, revertido numa economia de 2 a 4% do valor total da empreitada.

Também é necessário educar e fiscalizar cada funcionário sobre esse tema. Pois sem esse controle, o desperdício pode crescer, o que pode contrariar o seu planejamento financeiro.

3. Escolha os equipamentos mais adequados

Comprar ou alugar equipamentos eleva os custos de uma obra, ainda mais sem uma análise de eficácia e melhores condições. Portanto, leve em conta sempre as oportunidades de reduzir o prazo e economizar os recursos. Pois, ainda que o maquinário seja mais caro, em alguns casos, pode valer a diferença.

Considere também contar com a tecnologia para reduzir os gastos. Os drones, por exemplo, otimizam o tempo e o custo das vistorias e do acompanhamento do desenvolvimento da obra.

4. Acompanhe o estoque

Por falta de material, a obra pode parar ao mesmo tempo que os seus gastos aumentam. Então, avalie e assegure-se de que o seu estoque possua itens em boas condições e em quantidades suficientes.

5. Viabilize a segurança da obra

A prevenção é sempre uma forma de garantir com que a sua equipe esteja segura e que não haja nenhum tipo de problema trabalhista. Desse modo, o pagamento de salários, definição de rotinas, uso de EPIs e treinamentos devem ser pautas na sua gestão de custos.

📖 Veja ainda: por que o portão de aço oferece mais segurança.

Considerando cada uma dessas dicas de como fazer a gestão de custos da sua obra, planeje a sua obra. Esperamos ter lhe ajudado a fazer um controle de gastos e a garantir um bom direcionamento. Bons trabalhos!

Susi
Susi

Olá, eu sou a Susi, atendente virtual da plataforma de vendas da Soluções Usiminas. Sou expert em aço e vou ensinar tudo o que aprendi pra vocês.

Compartilhe nas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email